SESAB capacita médicos residentes para o novo modelo do SUS

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) realizou hoje (3), no Centro de Convenções da Bahia, o seminário “Pensar e agir saúde na Bahia”, voltado para médicos residentes, coordenadores e preceptores da residência médica do SUS (Sistema Único de Saúde). O evento teve como principal objetivo integrar os médicos habilitados para a residência médica em 2005 no novo modelo assistencial que está sendo implementado no SUS, com foco no Sistema Estadual de Regulação.

Durante a solenidade de instalação do seminário, essa manhã, a médica Clarice Guerra, vice-presidente da Comissão Estadual de Residência Médica (CEREM), destacou a importância da participação dos médicos residentes no processo de mudanças na assistência à saúde no Estado, “que visa, sobretudo, o fortalecimento do SUS”. Ainda segundo Clarice Guerra, “a transformação da saúde no Brasil, e em especial na Bahia, faz parte da formação profissional dos residentes, que são os construtores do futuro”.

Representando o secretário da Saúde, José Antônio Rodrigues Alves, a superintendente de Educação Permanente e Comunicação em Saúde, Márcia Sampaio, disse que a Residência Médica é uma das prioridades do governo do Estado, e que a Sesab não mede esforços para ampliar o quadro de residentes, além de investir na sua reciclagem e aprimoramento profissional. “A mudança no modelo assistencial é um desafio, e a Sesab entende que nesse momento de mudança, é fundamental investir na qualificação dos profissionais”, declarou a superintendente.

PIONEIRISMO

Conforme a coordenadora de Gestão e Avaliação da Qualidade Tecnológica da Sesab, a enfermeira Márcia Aparecida Gomes, os médicos residentes precisam ter acesso a vários cursos e seminários, a fim de completar a formação profissional. A enfermeira revela que já existem, inclusive, alguns cursos obrigatórios no currículo dos residentes, como infecção hospitalar e ética médica.

“Agora, o governo da Bahia, através da Sesab, é pioneira no lançamento de um seminário específico para discutir as mudanças e o fortalecimento do SUS com os residentes, com o objetivo de capacitar os novos médicos para o atendimento dentro do novo modelo, integrado com a Central de Regulação, a fim de garantir à população a melhor opção de tratamento, de acordo com os recursos disponíveis na rede”, explicou Márcia Aparecida.

Já o médico José Carlos Barboza, diretor da Escola Estadual de Saúde Pública, da Sesab, lembrou que o desenvolvimento e o fortalecimento do SUS, assim como a mudança das práticas de saúde tem sido objeto de intenso trabalho em todos os níveis de assistência, tornando necessário um processo gradativo de mudança na formação dos profissionais das diversas áreas. “Em função disso, mudanças de currículos estão sendo introduzidas em todas as escolas de formação profissional de saúde, e novos métodos de ensino têm sido viabilizados”, disse Barboza.

REGULAÇÃO

Criada no início de 2003, a Central de Regulação tem por objetivo ordenar o fluxo de pacientes nos hospitais, unidades de emergência e postos de saúde de Salvador, dando prioridade para cada caso, de acordo com o nível de necessidade. Desse modo, os pacientes que apresentam quadro clínico mais grave têm preferência em caso de internação ou realização de exames sobre aqueles que apresentam problemas mais simples. O trabalho da regulação é colocar o paciente certo no lugar certo, de acordo com o nível de necessidade de cada um. As equipes da Central funcionam com médico reguladores, auxiliares e monitores, que estão disponíveis 24 horas por dia.

Fonte:Creaids/Pautachequer